Publicado por: Josué | 26 outubro, 2008

MOÇÃO 6 – Trabalho através de projetos

Considerando:

   1. A grande carga de trabalho do CG-JELB;

   2. A não disponibilidade dos membros do CG-JELB para trabalharem em tempo integral pela JELB;

   3. A necessidade de expandir as áreas de atuação da JELB

   4. A necessidade de melhorar o trabalho nas áreas em que a JELB já atua.

   5. Que há cada vez mais uma grande necessidade de novos projetos na JELB;

   6. Que todo o trabalho da JELB deve ser apreciado pelo Plenário do congresso, órgão máximo da JELB.

 

Propomos:

   1. A criação de dispositivos que permitam aos jovens trabalhar na JELB através de projetos.

   2. A possibilidade do plenário do congresso, órgão máximo da JELB, decidir quais projetos devem ser apoiados pela JELB.

   3. Que o CG-JELB seja responsável pela fiscalização do desenvolvimento do projeto, conforme apresentado na sua aprovação.

   4. Que esta moção passe a ter validade a partir da sua aprovação, sem prazo de carência.

   5. Inclusão dos seguintes artigos no Regimento Interno da JELB, criando o Capítulo VI e acrescentando os seguintes artigos (após o art. 28°) conforme o texto abaixo:

 

Capítulo VI – DOS PROJETOS

 

Artigo X1 – Os projetos nacionais da JELB serão criados e organizados por, no mínimo, 2 (dois) coordenadores-executores.

§ 1º: Fica limitada a participação de cada jovem a apenas 1 projeto.

 

Artigo X2 – Os projetos devem ser encaminhados para a plenária para sua aprovação, sem necessidade de antecedência do envio.

§ 1º: Considera-se que projeto é definido por um empreendimento temporário com o objetivo de criar um produto ou serviço único. Temporário significa que cada projeto tem um começo e um fim bem definidos. Único significa que o produto ou serviço produzido é de alguma forma diferente de todos os outros produtos ou serviços.

§ 2º: Salvo as atribuições do CG-JELB, definidas no Artigo 19º, todos os trabalhos da JELB devem ser executados em conformidade com o Capítulo VI – Dos projetos.

§ 3º: Um projeto para ser apreciado e aprovado pelo Congresso Nacional deve ter, no mínimo, a seguinte estrutura: objetivo primário, prazo de criação, prazo de implementação, duração do projeto, custo e origem dos recursos.

§ 3º: Todo projeto fica limitado ao período da gestão em que foi criado, podendo ser reeditado ao seu término.

§ 4º: A equipe do projeto poderá ser assessorada de tantas pessoas quantas forem necessárias para a eficiente condução dos trabalhos.

§ 5º: O trabalho executado pelos coordenadores-executores não será remunerado.

§ 6º: O projeto pode contratar serviços de terceiros, desde que o item esteja especificado no orçamento aprovado.

 

Artigo X3 – Todo projeto deverá ser aprovado no Congresso Nacional da JELB.

§ 1º: O projeto poderá ser aprovado ainda que seus coordenadores-executores não estejam presentes.

§ 2º: Projetos criados após o Congresso podem ser aprovados pelo CG-JELB, em caráter extraordinário, desde que os mesmos sigam a estrutura do Capítulo VI – Dos projetos. Entretanto os custos de cada um deles deverá ser inferior a 5% do orçamento anual da JELB.

§ 3º: Caso seja aprovado o projeto de realizar o Congresso Nacional da JELB ou o Jornal da JELB, que são atribuições do CG-JELB, as alíneas “h” e “i” do Artigo 19º que conferem essas atribuições ao CG-JELB ficam anulados até o próximo congresso. O Congresso e/ou o Jornal da JELB passam a vigorar conforme o projeto apresentado pela dupla de coordenadores-executores respectiva a cada um dos mesmos.

 

Artigo X4 – Cabe ao CG-JELB fiscalizar o andamento dos projetos.

§ 1º: O CG-JELB deverá tornar público todo projeto no prazo máximo de 1 mês de sua aprovação, bem como seus respectivos relatórios ordinários no prazo de 15 dias.

§ 2º: O CG-JELB poderá estender os prazos e permitir mudanças nos projetos, como também poderá extinguir aqueles que não estão sendo cumpridos conforme foram apresentados ao plenários.

 Artigo X5 – São atribuições da dupla de coordenadores-executores de projeto de Comissão:

a) elaborar o projeto conforme o artigo X2, inciso 1° do presente Regimento;

b) desenvolver e executar o projeto conforme planejado;

c) prestar relatórios ordinários ao CG-JELB obrigatoriamente de forma semestral e extraordinários com um prazo máximo de duas semanas à partir da data requisitada, sempre que solicitados;

d) convocar outros auxiliadores do projeto e coordenar o andamento de suas tarefas conforme for considerado necessário pela dupla de criação-execução.

e) Divulgar o projeto através dos meios de comunicações da JELB.

 

Josué Alexandre Sander

Juventude Evangélica Luterana Ilha

Distrito Vale do Itajaí

Florianópolis, 27 de agosto de 2008


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: