Publicado por: Miguel Dolny | 10 fevereiro, 2010

Fé-Ação-Ação-Fé-Ação-Fé ???

Versículo-tema: “Meus irmãos, que adianta alguém dizer que tem fé se ela não vir acompanhada de ações?” (Tiago 2.14a – NTLH).

Mais um ano se iniciou. Quantas promessas você fez? Quantos planos, vontades, ideias novas… Onde você encaixa Deus nessa história? Talvez nessa euforia toda você tenha se esquecido Dele, mas também pode ser que no centro de seus objetivos estejam os trabalhos na igreja, a vontade de levar Sua Palavra ao próximo, ser instrumento em Suas mãos. É muito bom quando estamos motivados pelo Espírito Santo a agir, viver segundo a vontade do Pai. Mas é difícil admitir que fracassamos quando nos esforçamos e aquilo que planejamos não acontece.

Ação. É disso que Tiago fala no segundo capítulo de sua carta. Esse texto é muito conhecido e nos alerta que “a fé sem ações está morta” (Tiago 2.26b). Conforme Efésios 2.8a, somos salvos por meio da fé. Sendo assim, se não agirmos, e assim nossa fé morrer, não seremos salvos?

Não somos salvos por nossas próprias obras, pela nossa própria inteligência ou força. Recebemos a salvação como “um presente dado por Deus” (Efésios 2.8b). Somente estando unidos com Jesus, poderemos fazer “as boas obras que Ele já havia preparado para nós”, como o texto de Efésios nos diz mais adiante.

Então podemos inverter a ordem das palavras de Tiago no versículo-tema, ao concluirmos que, não há como haver ação se não houver fé. Não adianta querermos elaborar os melhores projetos para a JELB, estabelecer comissões que atinjam milhares de pessoas, ou mesmo falar do amor de Deus ao nosso amigo, se não estivermos motivados por esse amor. As ações, ou boas obras, já foram preparadas por Deus para nós. Precisamos conhecer Sua vontade para nos engajarmos nessas obras.

E a vontade de nosso Pai amado está bem clara em Sua Palavra. 2 Timóteo 3.16 e 17 nos dizem que “toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para (…) ensinar a maneira certa de viver. E isso para que o servo de Deus esteja completamente preparado e pronto para fazer todo tipo de boas ações”.

Começando um novo ano, essa nova fase, coloque em seus planos a leitura diária da Bíblia, ela é alimento espiritual. Dedique-se também à oração, assim como ir aos cultos, receber o corpo e sangue de Cristo na Ceia. Dessa forma estamos nos preparando para agir. E que Deus nos abençoe!

Anúncios
Publicado por: Daniela | 6 fevereiro, 2010

Oficina Levanta-te e vai…(Luz, Câmera, Ação!)

Olá pessoal,

Nos dias 29 e 30 de janeiro aconteceu a Oficina de Teatro “Levanta-te e vai” (Luz, Câmera, Ação!) no congresso da JELG em Torres.

Foram trabalhadas idéias para levar o teatro às Uniões Juvenis de forma simples e prática baseado na História Bíblica do Paralítico de Cafarnaum, além da elaboração de um painel e realização de técnicas de teatro.

Segue fotos da galera…

Valeu galera… até a próxima!!!

Publicado por: jerritomm | 25 janeiro, 2010

Eu quero ir pro céu

Filipenses 1.21-24 – “Pois para mim viver é Cristo, e morrer é lucro. Mas, se eu continuar vivendo, poderei ainda fazer algum trabalho útil. Então não sei o que devo escolher. Estou cercado dos dois lados, pois quero muito deixar esta vida e estar com Cristo, o que é bem melhor. Porém, por causa de vocês, é muito mais necessário que eu continue a viver.”

Somos cristãos e acreditamos no CÉU. Um lugar muito melhor do que a realidade em que vivemos. O céu é descrito como sendo um local que nada que temos aqui neste mundo pode ser comparado com a maravilha que teremos lá. A nova Jerusalém, com ruas de ouro, onde seremos iluminados com a glória de Deus. A pergunta que fazemos diante disso é por que nos apegamos tanto a esse mundo, por que nos assustamos tanto diante da morte de alguém e tememos a nossa morte, por que buscamos tanto nos manter vivos neste mundo? Não seria melhor morrer logo e ir para o céu, que é um lugar tão maravilhoso?

Quando fomos criados, a terra era para ser o nosso paraíso, em que viveríamos na mais completa alegria e prazer, teríamos o mundo todo para nós. Mas com a queda, a morte se tornou parte da nossa vida e Deus planejou uma nova realidade para nós, um novo Céu e Nova Terra, uma criação recriada ou purificada. A morte, como consequência do pecado, entrou em nossas vidas sem termos sido planejados para esse fim. Lutamos contra a morte porque não fomos criados para morrer, mas para viver eternamente. Também lutamos contra ela porque a morte nos mostra a consequência do nosso pecado, do momento limite onde tudo é decidido – céu ou inferno. Mesmo sendo cristãos conscientes e confiantes na obra de Jesus em nosso favor, ainda assim a morte nos assusta e por isso queremos estar o mais distante possível dela.

Por nascermos neste mundo, também entramos numa programação que é resultado da ordem de Deus lá na criação – tenham filhos, espalhem-se e dominem a terra. É nessa programação que ainda vivemos, nascemos, crescemos, casamos, temos filhos e trabalhamos para dominar a terra. Mas com a vinda de Jesus, parece que um pouco dessa programação parece perder um pouco do sentido, porque ele nos diz que não devemos viver tanto para esse mundo, mas para o próximo. Somos aconselhados a não pensar tanto no dia de amanhã, no que vamos comer ou vestir, que não devemos encher depósitos de bens. Paulo até aconselha a não casarmos. A nossa programação parece ter sido modificada um pouco.

Além de tudo isso, quando nos deparamos com todas as dificuldades que surgem em nossas vidas, doenças, problemas com as pessoas, com o trabalho, com a família, parece ser um incentivo ainda maior pra querermos morrer logo e ir para o céu.

Mas como não somos nós que decidimos a hora da nossa morte, e as vezes isso é verdade até para um suicida, heheheh, temos que confiar em Deus e esperar. Além disso, estamos neste mundo como cristãos para cumprirmos uma nova programação, ser operários na construção do Reino de Deus. Se Deus não tivesse mais algum trabalho ou boa obra para nós fazermos, já nos teria levado, porque ele sabe que lá no céu é melhor para nós, mas enquanto ele precisar de nós aqui, ele nos manterá neste mundo de sofrimentos e agonias.

Mas é tão ruim estarmos neste mundo mesmo? Se formos comparar com o céu a resposta é sim, mas se formos sinceros e não tão reclamões, perceberemos que apesar de todas as dificuldades somos muito felizes e temos muitos bons momentos nesta vida. Essa é uma das grandes mostras do amor de Deus por nós.

Eu quero ir para o céu e não ficaria triste se fosse amanhã, na verdade ficaria muito feliz lá com Deus na festa celestial. Mas por enquanto, estando neste mundo, sei que Deus tem alguns propósitos ainda para a minha vida. Não sei bem como eles se realizarão ou quais são, mas fico feliz que Ele me veja como alguém útil para de alguma forma ser instrumento nas suas mãos.

“Porém, por causa de vocês, é muito mais necessário que eu continue a viver.” Esta é a parte final do versículo de Paulo. Era assim que ele respondia a reflexão que fizemos. Não estamos neste mundo apenas para fazermos coisas por nós mesmos, mas principalmente pelos outros, para apoiar os irmão na fé e ajudá-los a crescer, para testemunhar a salvação e levá-la a outros, cada um com os dons que Deus deu. Eu não sei bem quais são os meus e muitos dos meus amigos também não sabem, mas tenham a certeza que Deus está nos usando para o seu reino. Eu creio nisso. Creiam também. E quando chegar a hora de ir para o céu, não se assustem, nos encontraremos lá e será maravilhoso.

Publicado por: Luise Lüdke | 14 janeiro, 2010

No caminho da vida, Deus é nosso guia

Pois em ti eu tenho posto a minha confiança. As minhas orações sobem a ti, mostra-me o caminho que devo seguir!
Sl 143. 8(b)

Quando Deus criou o mundo o homem vivia em harmonia com a natureza e com os animais, se integrando a eles como parte da obra perfeita de Deus. Com a queda em pecado, o homem se afasta tanto de Deus que passa a confiar na obra de suas próprias mãos. Constrói cidades, casas, prédios, máquinas e paredes que o separam do Criador e da beleza de sua criação confiando apenas em sua capacidade.

No início deste ano de 2010 tivemos a oportunidade de fazer uma viagem entre amigos para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros no estado de Goiás. Viajamos em torno de 700km de carro e já no caminho pudemos nos admirar com a imponência e beleza da natureza daquele lugar.

Nos três dias de aventuras nas trilhas no Parque Nacional, no Vale da Lua, Raizama e Morada do Sol (vejam as fotos na internet, é lindo!) quando pudemos admirar cachoeiras, árvores, rios, cânions, corredeiras, cristais (a Chapada foi explorada por isso durante muito tempo), foi simplesmente inevitável não refletir sobre Deus e sobre a confiança que podemos depositar nEle.

Porém, se não tivéssemos contratado um guia para nos levar até os lugares e nos mostrar o melhor caminho, com certeza não teríamos aproveitado os passeios, como aconteceu com algumas pessoas que confiaram em sua própria força e acabaram perdidas ou mesmo sem vida… Ao confiar nossas vidas e segurança no trabalho do guia conseguimos relaxar e aproveitar as trilhas sem se preocupar em sermos atacados por animais, nos perder, sem se preocupar se a chuva vai formar uma tromba d’água e nos pegar desprevenidos. O guia se preocupa por nós e nos leva em segurança, sempre atento aos possíveis perigos.

Assim, mesmo o caminho sendo tortuoso, cheio de pedras e coisas que dificultam nossa caminhada, mesmo que tenhamos que ultrapassar obstáculos as vezes muito grandes e realmente perigosos, ao depositarmos a confiança no guia passamos por eles e conseguíamos visualizar o melhor da vida (uma paisagem arrasadora!) sempre em alegria e felicidade! Até podemos cair tentando ultrapassar obstáculos, mas com a ajuda do guia e dos amigos que levamos e encontramos no caminho tudo fica para trás e continuamos em alegria.

Quem está guiando nossas vidas? Continuamos teimosos e confiando em nossa própria força? Se confiarmos em Deus caminhar pela vida fica fácil, pois Ele sabe o melhor caminho e nos conduz afastando e nos avisando dos perigos, nos guiando em segurança. Alguns trechos da trilha que é a vida, com certeza serão mais íngremes, difíceis, tortuosos… mas se temos o Guia a nossa frente podemos confiar e ter a certeza de que tudo ficará bem e que podemos ser felizes, afinal Ele nos conhece, somos suas criaturas!

Luise, Miguel e Jerri

Trilha do “Vale da Lua”/Chapada dos Veadeiros

Publicado por: Daniela | 7 dezembro, 2009

Teatro Social: Olha que idéia legal!

Pessoal, olha só o que o jovens luteranos fizeram no XXV Congresso Distrital dos jovens do Distrito Pioneiro, realizado em Santiago-RS, em 7 e 8 de novembro de 2009!!!

Enviado por: Sandra Messer

Notícia do Blog Clic RBS

Jovens da Igreja Luterana na luta contra o crack

 

Vestindo a camiseta da campanha Crack Nem Pensar, um grupo de teatro composto por jovens da Congregação Evangélica Luterana da Paz de Passo Fundo fez apresentações de uma peça teatral intitulada “Um coração não bate mais”, que aborda o uso do crack e as consequências na vida do dependente e de sua família.

As apresentações ocorreram nos dias 7 e 8 de novembro de 2009 na cidade de Santa Maria e Santiago. Em Santa Maria, as apresentações foram no Colégio Nossa Senhora de Fátima e na Escola Estadual de Ensino Médio Cilon Rosa, graças a uma parceria entre a IELB e a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Maria. Em Santiago, a apresentação ocorreu na Igreja Evangélica Luterana local durante o XXV Congresso Distrital de Jovens do Distrito Pioneiro.

Mais de 600 pessoas assistiram às apresentações e foram impactadas pela campanha Crack Nem Pensar nestes dois dias. Como o apoio da organização Cristo Para Todas as Nações (CPTN), os jovens foram incentivados a solicitar o livreto “Vencendo as Drogas”. Trata-se de um material produzido com o intuito de prevenir o problema das drogas e apresentar algumas orientações de como lidar com esta triste situação. Você também pode receber o livreto gratuitamente em sua casa. Ligue 0800-558233, no horário comercial, e solicite o seu exemplar. O livreto será entregue pelos correios.

Unindo as nossas forças seremos mais forte na luta de prevenção da vida dos jovens deste país.

CRACK

Na trilha certa

Peça alertou sobre o risco da droga

//

A trilha é rock, mas o assunto é sério. Foi nesse clima que os alunos do Colégio Fátima e da Escola Cilon Rosa foram alertados sobre os perigos do crack, na manhã de sábado.

O cotidiano do jovem Marcos, personagem principal da peça, e sua relação problemática com a família foi o mote da apresentação do grupo de teatro itinerante de Passo Fundo, ligado à Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

– Nosso público alvo são crianças e jovens. Estamos unindo forças com a campanha Crack, Nem Pensar para levar informação e conscientização – afirma Sandra Messer, presidenta juvenil do Distrito Pioneiro, formado por jovens luteranos.

O grupo pretende montar uma peça com jovens de Santa Maria para agilizar ainda mais a campanha de mobilização e conseguir atingir mais escolas locais.

– Com um grupo na cidade, conseguiremos expandir nosso trabalho – explica Sandra.

Galera, olha que testemunho e que idéia bacana, parabéns ao Distrito Pioneiro e organizadores.

Publicado por: Daniela | 14 outubro, 2009

Lutero e o Teatro

Escrito por: Marlus Seling*

No dia 31 de Outubro comemoramos a Reforma Luterana, uma reforma que precisou ser feita. O Dr. Martinho Lutero foi o homem que trouxe à igreja de Cristo a verdade da palavra de Deus: O Cristão é salvo somente pela fé em Jesus Cristo e pela Graça Divina, revelado através da Palavra de Deus.
A contribuição de Lutero à Igreja Cristã é inquestionável. No campo da Teologia nem se fale, escreveu muito, mas muito mesmo, centenas de livros!
No campo da música também se aventurou, e ainda hoje cantamos muitas de suas composições, a titulo de exemplo cito “Castelo Forte é nosso Deus”, (Hinário Luterano – Nº 165).
E no campo das Artes cênicas Lutero fez algo? Lutero fez alguma peça de teatro para a igreja? Escreveu algo sobre teatro?
Esta era uma dúvida que me questionava, procurei em muitos livros alguma coisa a este respeito. E não é que encontrei!
Margot Berthold cita Martinho Lutero como defensor do teatro como excelente forma de aprendizagem. Isso me chamou muita atenção, pois alguns autores fazem críticas contra os reformadores de que eles não gostavam do teatro. E neste livro Berthold afirma que Lutero não combatia o teatro, e sim, o que era ensino falso e contrário a pura palavra de Deus, cujo centro é Jesus Cristo, a única e verdadeira mensagem a ser proclamada.
É válido lembrar que durante a idade média os erros doutrinários eram constantes na igreja católica. O teatro era um meio pelo qual estes erros eram passados. Quem assistiu o filme “Lutero” deve se lembrar da cena em que eram vendidos as indulgências, de forma dramatizada, o vendedor, na cena João Tetzel, queimava sua mão para vender “o céu às pessoas”. A isso Lutero combateu, aos erros disseminados!
Outro autor que cita Lutero como defensor do teatro, e como forma de transmitir a pura palavra de Deus, é René F. Miller que escreve “Lutero também via o teatro com bons olhos, sabia que o palco era um ótimo meio para a propagação das doutrinas protestantes e investiu nisso. Dessa forma, a Igreja romana sofreu muitos danos ao seu prestígio”. Francisco Carlos Moura ainda acresce que “O acréscimo de cenas burlescas provocou a reação da igreja que procurava manter, nas peças religiosas, a pureza da fé”.

Portanto Lutero falou sim sobre teatro. Quem sabe até mesmo escreveu alguma peça, ou atuou… Disso não sei, ainda! Mas com toda certeza ele nos deixou um ótimo legado: A redescoberta da fé salvadora em Jesus Cristo. Quanto a isso, podemos e devemos usar diariamente, levar o testemunho de Jesus Cristo como nosso Salvador a muitas pessoas, de várias formas e meios, dentre as quais o teatro.

OBRAS CONSULTADAS
BERTHOLD, Margot. História Mundial do Teatro. São Paulo: Editora Perspectiva S.A., 2000, p. 300.
MILLER, René F. Teatro. In. Os Jesuítas – Seus Segredos e Seu Poder. Rio de Janeiro: Ed. Globo, 1946. p. 449.
MOURA, Carlos Francisco. Teatro a Bordo de Naus Portuguesas nos séculos XV, XVI, XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Instituto Luso-Brasileiro de História – Liceu Literário Português, 2000, p. 59.
*Bacharel em Teologia pela ULBRA, e Estagiário de Teologia pela Igreja Evangélica Luterana do Brasil – IELB e Seminário concórdia. Atualmente está fazendo o estágio prático em Nossa Senhora do Socorro, Sergipe. msseling@yahoo.com.br

Publicado por: jerritomm | 9 outubro, 2009

Senhor, perdoe-me porque pequei

Lucas 15.18b-19a – “Pai, pequei contra Deus e contra o senhor e não mereço ser chamado de seu filho

       Pecar, eis aí uma dificuldade que enfrentamos todos os dias. Não há um só dia que possamos dizer: “Hoje eu não preciso pedir perdão a Deus, porque não cometi nenhum pecado.” Por mais que nos esforcemos, oremos e vigiemos, sempre pecamos. Isso é uma constante em nossas vidas. E muitas vezes, isso toma uma dimensão crescente, quando certos pecados se sobressaem e tornam-se mais constantes. Mas pior do que isso, é quando nos tornamos endurecidos e tomamos esses pecados como naturais.

      Um comerciante pode afirmar: “Com a quantidade de impostos que temos que pagar, não há como ser honesto, porque senão os negócios não vão pra frente”, um vendedor também pode dizer: “se eu falar sempre a verdade vou perder muitas vendas e meu emprego também”, um casal ainda poderia declarar: “Casamento?, isso é coisa do passado, hoje a gente fica junto, se der certo deu, senão cada um vai pro seu lado e pronto, inclusive papel só atrapalha”. Enfim, muitos exemplos podem ser citados como “todo mundo faz isso”, “hoje as coisas são diferentes”, “não tem como não fazer” e por aí vai.

        Mas será que tem que ser assim mesmo? Quando Jesus veio ao mundo ele nos trouxe uma proposta: “Arrependam-se e me sigam!” Esse arrepender-se é reconhecer que o que fizemos de errado é realmente errado, que não deveríamos ter feito, que é ruim e que não deve se repetir. Como disse em outro texto, Jesus não nos salvou do poder do pecado para podermos pecar livremente, mas nos salvou para não sermos dominados pelo pecado e para podermos seguir o caminho certo.

       É curioso quando estamos planejando um pecado, quando estamos nos preparando para fazer alguma coisa errada e aí nos vemos livrados por Deus de uma situação que nos traria sérios prejuízos. É de se envergonhar. Mesmo quando estamos tão prontos a pecar, Deus vem e nos ajuda. Essa é a dimensão do amor de Deus por nós.

        O que fazer então? Dobrar nossos joelhos e pedir perdão. Arrepender-se realmente dos pecados, não apenas repetir diariamente orações vazias dizendo sem pensar: “Deus, me perdoe pelos meus pecados”, mas dizer sinceramente e com todo coração: “Senhor, perdoe-me porque menti, porque machuquei alguém, porque fui egoísta, porque não ajudei, porque fui luxurioso, porque desejei o mal, porque não amei minha família, meus amigos e a ti”, enfim, nosso pedido de perdão deve levar consigo o nosso coração e a nossa alma.

       Somos fracos e sempre pecamos, repetimos pecados e muitas vezes nos afundamos neles, mas mesmo não sendo dignos de sermos chamados de filhos de Deus, ele nos considera seus filhos, nos perdoa sempre e nos ajuda a crescer, a mudar, a melhorar, e a superar dificuldades – aqueles pecados que temos mais problemas para não cometer. Deus nunca disse que seria fácil, “mas acreditem, mas acreditem,” não temos ideia do que realmente poderia ser se Deus não intervisse em nosso favor. Para seguir Jesus, temos que carregar a nossa cruz, que na maioria das vezes somos nós mesmos.

       Confiemos em nosso Deus, não há ninguém melhor para isso porque é quem está mais preocupado conosco. Que o perdão e a salvação que ele oferece alcance a todos. Amém.

Publicado por: Daniela | 1 outubro, 2009

Teatro pra todos os gostos…

Oi pessoal, depois de um bom tempo sem escrever no blog, aqui estou…
Longe do blog, mas perto do teatro, não paramos de trabalhar na área…
Quero falar dos projetos da Comissão de Teatro da JELB, da qual faço parte.

Projetos

ArteJELB Online: Acesse o site e confira mais de 60 peças teatrais de diversos temas para baixar, ensaiar e apresentar. Quem tiver peças pode contribuir com o projeto e enviar para artejelb@gmail.com
Arte JELB4: Mandem para o mesmo e-mail peças para o cancurso do ArteJELB4. Este projeto visa lançar um livro com peças teatrais. Já temos inscrições de mais de 30 peças no concurso. Participe!
Cadastro de Grupos Teatrais: Temos dicas de teatro e novidades para vcs. Cadastre no site seu grupo ou união juvenil.
Festival de Teatro: A comissão pretende fazer uma grande encontro teatral nacional em outubro de 2010, fique ligado nas notícias do site.
InterpretaJELB: É este blog, onde periodicamente disponibilizamos dicas de teatro para datas festivas e textos para análise e reflexão sobre o assunto.
Sua História: Projeto super legal em parceria com a comissÃo de liderança da JELB. Ainda é surpresa. Aguardem!
Atos29: Parceria com o projeto fome29, tenho como objetivo incentivar os jovens a realizarem teatro social.
Lista de Discussão: Quem quiser participar da lista de discussão sobre tetro, envie um e-mail para jelbteatro@yahoogrupos.com.br

Além dos projetos, a comissão de teatro se coloca a disposição para ministrar oficinas de teatro para grupos, uniões juvenis e distritos.
Dia 26/09/2009 teve oficina de teatro no congresso distrital de jovens do noroeste gaúcho – DINORGA. Com a participação de 32 jovens divididos em dois grupos. Foram passados conceitos básicos de teatro, exercícios e dinâmicas teatrias, pantomima e releitura de histórias bíblicas de forma cômica. Breve fotos e textos.

É isso, quem tiver sugestões, dúvidas, crítica, etc… entre em contato com a gente, queremos conhecer vc.
Até mais,
Daniela von Mühlen – Comissão de Teatro da JELB.

Publicado por: Miguel Dolny | 18 agosto, 2009

Vai ter festa! E você está convidado!

Versículo-tema: “Pois muitos são convidados, mas poucos são escolhidos.” (Mateus 22.14 – NTLH).

O brasileiro é conhecido por ser alegre, de bem com a vida, com um calendário recheado de feriados, motivos de festas e confraternizações. Muitos são os convites que aparecem no dia-a-dia: churrascos, jantas, bailes, bodas, casamento, aniversário, o time que ganhou, tudo é motivo de festa. E os cristãos não ficam de fora; tanto participam de festas com amigos não-cristãos quanto organizam as suas no calendário da igreja, como a páscoa, o natal, o aniversário de inauguração do templo etc.

Jesus, ao se tornar conhecido por seus feitos, certamente também era convidado para ir a festas, inclusive em uma delas transformou água em vinho, não é? Mas Jesus quer receber a todos nós em uma festa e todos recebem o convite, mas alguns de nós o desprezam.

O Filho do Homem conta, em Mateus 22.1-14, uma parábola para explicar o Reino do Céu. Ele sugere a seguinte situação: Um rei preparou a festa de casamento para o seu filho e mandou seus empregados chamarem os convidados; mas eles não quiseram vir e, ao serem chamados novamente, ignoraram, foram tratar de seus negócios, inclusive alguns convidados ficaram com raiva dos empregados e bateram neles. O rei ficou bravo e mandou matar todos aqueles. Então o rei, que já tinha preparado a festa, mas não tinha a quem receber, mandou seus empregados convidarem a quem encontrassem. Muitas pessoas vieram e, entre elas, havia um que não estava com roupas de festa; esse foi expulso da festa.  Jesus termina a parábola dizendo o versículo-tema de nosso estudo: “Pois muitos são convidados, mas poucos são escolhidos.”.

A história contada se parece com a de um povo muito citado na Bíblia, o povo de Israel. Mesmo o homem tendo caído em pecado, Deus quis trazê-lo de volta para si, dando a vida verdadeira, convidando-o, como vemos em Isaías 55.3: “Escutem-me e venham a mim, prestem atenção e terão vida nova. Eu farei uma aliança eterna com vocês e darei as bênçãos que prometi a Davi”. Mas o povo recusou o convite muitas vezes, até que Deus resolve convidar a todas as pessoas, por meio da morte e ressurreição de seu filho, Jesus Cristo. Agora, somos todos convidados.

Muitas pessoas, auxiliadas pelo Espírito Santo, estão recebendo esse convite com o coração cheio de alegria e gratidão, estando prontas a deixar qualquer compromisso para poder participar dessa festa. Mas é preciso estar bem vestido para poder ir à festa, e essa roupa nós não precisamos alugar, comprar ou costurar, pois ela nos foi dada de graça e por graça: é uma nova natureza, “essa natureza é a nova pessoa que Deus, o seu criador, está sempre renovando para que ela se torne parecida com ele, a fim de fazer com que vocês o conheçam completamente” (Colossenses 3.10). A roupa que devemos usar está muito bem especificada em Efésios 6.14-18. Confira quais são as peças de roupa!

Deus convida a todos nós; eu, você, nossos amigos, colegas de escola, faculdade, trabalho, vizinhos, parentes… Será que todas essas pessoas sabem que também são convidadas? Como está no texto de Efésios 6.15, devemos calçar, como sapatos, a prontidão para anunciar a boa notícia de paz. Que Deus nos abençoe na divulgação dessa festa e que possamos convidar a todos os que encontrarmos pelo caminho!

Publicado por: jerritomm | 12 agosto, 2009

Teoria do design inteligente

Olá pessoal,

Algum tempo atrás eu recebi um informativo da IELB e lá tinha a propaganda do II Simpósio Internacional Darwinismo Hoje da Universidade Mackenzie com link para duas palestras de Dr. Marcos Eberlin sobre “Design Inteligente”. Fiquei curioso por já ter ouvido falar sobre, porém muito superficialmente. Lá encontrei dois vídeos com duas palestras desse Dr. Marcos sobre o tema e fiquei muito impressionado, pois não conhecia nenhuma “teoria científica” séria e bem elabora que fosse uma alternativa à Teoria da Evolução.

Fiquei bem empolgado com esta teoria e tentei postar nas comunidades luteranas do Orkut, mas não sei por que não tive êxito. Então, vou aproveitar este espaço para postar estes dois links das palestras e falar um pouco sobre o assunto.

Bom, estes são os links

Dr. Marcos Eberlin – “Design Inteligente”

http://200.19.92.31/darwin/WMV/Dr_Marcos_Eberlin_I.wmv

Dr. Marcos Eberlin – “Fomos Planejados – A maior descoberta de todos os tempos”

http://200.19.92.31/darwin/WMV/Dr_Marcos_Eberlin_II.wmv

Então o que seria a teria do Design Inteligente?

É uma proposta científica que defende que tudo o que existe desde as partículas mais elementares até a totalidade do universo dão indícios de que ALGO os tenha planejado, arquitetado, projetado. Questiona diretamente a teoria darwinista, que afirma que as coisas vieram a ser o que são por sucessivos acidentes e que esses acidentes que trouxeram benefícios aos seres e coisas foram selecionados naturalmente por trazer vantagens sobre os que não possuíam.

A teoria do Design Inteligente questiona isso porque tudo o que existe é tão intrincadamente organizado que mesmo em bilhões de anos não seria possível que acidentes sucessivos tenham gerado tal resultado. São citados pelo Dr. Marcos Eberlin, o flagelo (apêndices de células como o espermatozóide usados para o movimento) e a membrana celular como estruturas que mesmo sendo tão pequenas são tão complexas que seria impossível terem surgido por acidente.

Nesses dois vídeos, o mundo científico é criticado por ter tornado a teoria da evolução como a única aceitável, tornando-a um dogma, esquecendo que esta teoria é apenas uma teoria e não uma verdade comprovada. Além disso, não há espaço para dogmas na ciência e sim análise e comprovação.

Por fim, a Teoria do Design Inteligente não quer se colocar como uma teoria religiosa com o objetivo de provar a existência de Deus, mas mostrar que toda a nossa realidade foi criada por uma inteligência superior. Contudo, a identidade dessa inteligência foge ao alcance da ciência natural, cabendo a teologia e metafísica discutir isso.

Bom, sugiro que assistam os dois vídeos, são um pouco longos, por isso seria bom destinar aquele momento em que vocês assistiriam a um filme na TV ou DVD para verem. Vale a pena.

Outras informações, o Google pode lhes oferecer, heheheh

Deus cuide de todos. Amém

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias